Aquela tarde com você teve gostinho de saudade



Eu não conseguia acreditar que eu estava mesmo indo para aquele lugar. Tarde de sábado, o sol está lindo hoje e o céu é de um azul intenso. Eu gostava desses dias, mas preferia os dias de inverno. Você gostava do sol também, mas gostava de sol combinado com dias frios. Vai saber...
Voltando ao lugar, eu caminhava em direção a uma sorveteria no centro da cidade. Lugarzinho legal. Bom de estar. Bom para lembrar de você. Mas hoje eu não precisarei das lembranças, pois por mais incrível que pareça, você vai estar lá.
Ainda não consigo acreditar que você me ligou. Não é entusiasmo, é apenas surpresa por ouvir sua voz depois de tanto tempo. Sabe, eu já estou bem. Já não sonho mais com você e sempre que ouço seu nome meu coração já não dói mais. E é por isso que estou preparada para te ver de novo.
Você estava lá, sentado e apreensivo. Antes de entrar de fato, te observei por alguns instantes. A mesma pele branca e suave. Seu cabelo está um pouco diferente do que eu lembrava. Já posso ver o azul dos seus olhos, tão intensos. Eu costumava embarcar em lindos sonhos quando seus olhos me fitavam.
Eu fui até você, que abriu um sorriso diferente e ao mesmo tempo tão igual. Você já não usa mais aparelho e esse sorriso que parecia impossível ficar mais bonito está simplesmente deslumbrante. Você é tão bonito... pena que foi tão doído.
- Oi – você diz e me abraça. Será possível que ainda usa esse perfume?
- Oi – respondi, tímida – Quanto tempo, não é? – completei.
- É verdade... você está diferente. Mais bonita. Não sei dizer, há um ar diferente – ele disse, dando de ombros.
- Ah, obrigada – agradeci, não sabendo se era a coisa certa a fazer.
Buscamos sorvetes. Ambos de flocos. Será possível que nossos gostos e preferências ainda são tão iguais?
Você me contou sobre a sua vida e o que mudou no último ano. Estava ansioso pelo show da sua banda favorita e queria muito que o ano passasse rápido. Assim como eu, você não via a hora de entrar na faculdade.
Você perguntou sobre a minha vida e eu dizia que pouco mudou. Comentei as minhas mudanças interiores e como de alguma forma o nosso passado em comum contribui para o meu aprendizado.
Chegamos naquele ponto frágil, de quando você deixou de falar comigo. Até hoje eu não entendia, mas não me culpava e dizia a mim mesma que a culpa também não era sua. Talvez fossem as circunstâncias.
Você se redimia e eu te olhava com um olhar pasmo, tendo pequenas ilusões no anil dos teus olhos. Mesmo depois de tanto tempo, eles conseguiam me deixar atrapalhada.
Tudo poderia ter sido diferente. Nós, tão iguais, poderíamos ter sido um. Eu poderia ter sido sua. Quer dizer, fui sua desde o primeiro momento, mas você nunca foi meu.
- Apesar de tudo, eu sei que nunca mais vou encontrar uma pessoa tão boa quanto você – você completou, tocando minha mão.
- Não diga isso – sussurrei – o amanhã está por vir. Sempre vão existir outras pessoas. E outras histórias. Poderíamos ter sido uma história, mas o tempo quis diferente. A culpa nunca foi de nenhum de nós. É só o tempo agindo e trazendo consequências. – refleti.
Conversamos mais um pouco e um nó se formava na minha garganta. Eu queria poder te abraçar até fundir nossos corações, mas isso era impossível. Por mais que eu quisesse e no fundo suspeitasse de alguma confusão sentimental dentro de você, as circunstâncias não permitiam.
Era hora de ir embora, você me abraçou outra vez e agradeceu por eu te ouvir. Senti seu perfume de novo e foi como se uma brisa doce tocasse minha face. Você selou meus lábios de leve e nos despedimos. E fomos para o tempo... e só o tempo dirá o que será de nós.

22 comentários:

  1. Conseguiu me fazer chorar '-'
    Lindo texto, parabéns (:
    xx

    ResponderExcluir
  2. Ahh eu espero que o tempo os una novamente. Eu como eles adoro sorvete de flocos também, rs.
    Bjus

    Rafa
    Rafaelando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei tanto desses personagens que até gostaria de dar um nome a eles! Hahaha
      Sorvete de flocos é amor! <3
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  3. Gostei de mais do texto. Poderia ter um final bem feliz!
    Beijos, Aline
    http://24diasdeprimavera.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Aline! Quem sabe o tempo não dê um final feliz? Hahaha
      Beijos!

      Excluir
  4. Lindo <3 Porque o tempo dita os rumos né? Deveria ser amor sentido naquele momento.
    "Eu queria poder te abraçar até fundir nossos corações, mas isso era impossível."
    http://www.avidaemletras.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Dani!
      Eu acredito muito mais no amor do que no tempo. Pena que às vezes nem sempre o amor manda...
      Beijos!

      Excluir
  5. awn que texto mais lindo! Me fez lembrar uns momentos ai mais enfim, hahaha parabéns.

    Ja conhece o meu blog?
    http://www.paaradateen.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Mesmo!
      Vou visitar seu blog, flor!
      Beijos!

      Excluir
  6. Infelizmente, o tempo sempre separa (ou junta) as pessoas. Mas quando o amor é forte o suficiente, nada e nem ninguém, é capaz de separar o que o amor uniu. Tomara que um dia esse casal, possam se abraçar até fundirem os próprios corações! hehe

    Beijos, Letícia.
    Desconstruindo Amélia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O tempo é uma arma poderosa, mas o amor - amor mesmo - é maior do que muita coisa.
      Quem sabe o amor não vence o tempo?
      Obrigada por comentar, flor! <3
      Beijos.

      Excluir
  7. Acho que todas nós já vivemos algo em comum com esse texto, somos sempre vítimas do tempo.

    Adorei (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo já viveu as consequências do tempo... inevitável!
      Obrigada, flor! Volte sempre.

      Excluir
  8. Infelizmente o tempo ás vezes faz com que as pessoas se separem,e raramente elas se juntam :S Acho isso triste :(
    vestindo-ideias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem triste, né? =(
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  9. Nossa, que tarde.... sentir saudade é bom, mas se puder matar.
    ao contrario, não... o tempo nos deixa e nos leva coisas demais :/

    @esteffanifontes, segue? Beijos,
    Aos Dezesseis Anos - aosdezesseisanos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada melhor do que matar as saudades, né?
      O tempo parece senhor do destino, às vezes.
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  10. Obrigada ♥.♥

    Amei o texto <3

    http://www.leferblog.com

    ResponderExcluir
  11. Owwwwwwnnnnnnn que liiiindo! É seu???

    Beijinhos, Monique.
    www.moniquepires.com

    ResponderExcluir