Resenha: A Extraordinária Garota Chamada Estrela


A Extraordinária Garota Chamada Estrela
Autor: Jerry Spinelli
Editora: Gutenberg
189 páginas.
Classificação: ☆☆☆

Sinopse: A garota chamada Estrela. Ela é tão mágica quanto o céu do deserto. É tão estranha quanto seu rato de estimação. É tão misteriosa quanto seu próprio nome. Com um simples sorriso, ela captura totalmente o coração de Leo Borlock. Com sua alegria, ela incendeia uma revolução de liberdade e autenticidade no espírito de sua escola. No começo, os colegas encantam-se com ela por tudo o que a faz ser diferente. Mas isso começa a mudar, e Leo, apaixonado e apreensivo, percebe que a única coisa que pode salvá-la das críticas é a mesma que pode destruí-la: ser alguém comum. Nesta celebração do inconformismo, o premiado Jerry Spinelli tece um conto tenso e emocional sobre os percalços de precisar ser popular e da emoção e inspiração do primeiro amor.

Fiquei muito animada quando recebi esse lançamento da Editora Gutenberg. Uma capa linda e uma sinopse prometendo uma história bela e capaz de nos fazer refletir - o tipo de história que eu gosto. Tratei logo de ler e, infelizmente, a leitura não foi tudo o que eu esperava, mas de certa forma tocou meu coração e me fez suspirar em muitos pontos.

Em A Extraordinária Garota Chamada Estrela, conhecemos Leo Borlock, um estudante comum do ensino médio, que, junto de seu amigo Kevin, produz um talkshow na escola, chamado "Cadeira Elétrica". No primeiro dia de aula, Leo encontra a escola em um completo estado de alvoroço; havia ali uma aluna nova, cujo nome era Estrela, tão incomum como a própria garota.

"De todas as características incomuns de Estrela, essa para mim era a mais marcante. As coisas ruins não a afetavam. Correção: as coisas ruins que aconteciam com ela não a afetavam. E as coisas ruins que aconteciam conosco a afetavam demais. (...) Todos os seus sentimentos, todas as suas atenções fluíam para fora. Ela parecia não ter ego." Página 60.

Somos então apresentados à protagonista. Apesar de a história ser narrada sobre o ponto de vista de Leo, é Estrela a essência do livro. Após passar anos estudando em casa, Estrela chega ao Ensino Médio disposta a conhecer um novo mundo e, principalmente, as pessoas. Disposta a agradar, a garota dá presentes aos colegas, toca em seu ukulelê uma canção de aniversário aos aniversariantes e, junto de seu rato de estimação, dança na chuva. À primeira vista, a excentricidade da personagem encanta todo o colégio, fazendo com que Estrela torne-se até mesmo uma líder de torcida; mas depois de um tempo, sua personalidade torna-se motivo de exclusão.


Durante esse tempo, Leo Borlock apaixona-se por Estrela - um sentimento mútuo. O casal vive então lindos momentos, que vejo como o ponto mais animador da história. As visitas a lugares encantados do Arizona e o maior conhecimento sobre a personalidade de Estrela fazem com que a história seja doce, suave e emocionante.
O relacionamento de Leo com Estrela - a garota mais ignorada do colégio - põe em cheque a popularidade e aceitação do garoto. Cabe a Leo escolher: qual opinião é realmente importante? A de Estrela ou a de todo o colégio? O garoto precisa então decidir o que realmente precisa para ser feliz.

"De repente, intensamente, queria saber tudo sobre ela. Queria ver as fotos dela da época de bebê. Queria observá-la tomando o café da manhã, desembrulhando um presente, dormindo. Desde setembro ela tinha sido uma artista - ultrajante e sem igual - no palco da escola e ensino médio. (...) E, ainda assim, agora eu sentia que não vinha prestano atenção. Sentia que havia perdido algo, algo importante." Página 86.

O que mais me incomodou nesse livro foi a falta de uma problemática em evidência; por mais que a excentricidade da personagem seja um ponto chave, a história torna-se meio maçante. Estrela é, muitas vezes, surreal e um pouco inconveniente, apesar de ser única e delicada. A personagem também é muito injustiçada, tanto por Leo quanto pelos outros adolescentes, tudo por motivos banais como popularidade e aceitação; é nesse ponto que enxergo pouca maturidade na história.
Uma leitura rápida e suave, apesar de pouco animadora. Ideal para quem está carente de histórias mais reflexivas e gosta de temas como primeiro amor, inconformismo e aceitação. Vale a pena ler, desde que não se crie expectativas grandiosas. 

21 comentários:

  1. Bom pelo que li o livro a garota é mistura de tudo, é mágica, misteriosa, e tem como bicho de estimação um rato kkk minha nossa tomara que seja rato branquinho de laboratório rsrs,
    bom achei o livro bom flor mais uma na minha lista para ler.
    olha tem post novo de um aparelho que dá CHOQUE no rosto poderia me visitar?
    magrafelizpensa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim, é levinho e bom!
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  2. Eu sempre crio expectativas grandiosas uahauahaua, então pode ser que eu não goste, mas por outro lado gosto de excentricidade, então pode ser que eu goste rs.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O lado excêntrico é um diferencial! <3
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  3. Amei a resenha,eu amei vou ver se por aqui tem,fiquei encantada hahah beijos Diario das Amigas Virtuais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo, flor.
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  4. Eu tenho o problema de criar expectativas rs, mas fiquei curiosa pra ser esse livro.
    Beijos

    http://diadespa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Tô no comecinho desse livro, mas não tenho grandes expectativas. Apesar de achar que será uma leitura leve e simples.

    http://iasmincruz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem doce, vale a pena.
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  6. Nossa, amei, é bem o tipo de livro
    que me atrai, que gosto de ler *-*
    http://www.theworldoflena.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que ótimo então!
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  7. A expectativa é o maior problema de sempre, né? Eu nunca vi uma resenha sobre esse livro antes e, pela sinopse, também achei que seria uma história fofa. A falta de um ponto ápice pode ser um problema, tornando o livro tedioso, como você mesma colocou. Pra falar a verdade, a capa não me chamou a atenção, mas o nome do livro, sim. Enfim, se um dia esse livro cair em minhas mãos, vou ler, claro. Mas não é algo pelo qual eu vá procurar.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por não ser uma história grandiosa, é um livro a ser deixado para um momento relax. É leve, fofo e suave, sim. Vale a pena, mas pode esperar.
      Obrigada por comentar, Gabi. Beijos!

      Excluir
  8. Eu estava com expectativas quanto a esse livro, mas sua resenha me fez diminuir bastante. É péssimo quando o livro se torna maçante dessa forma. Ainda acho que lerei o livro, mas lerei com menos expectativa.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de setembro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Vale a pena por ser leve e doce!
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  9. Oie! Não conhecia o livro, mas parece ser muito fofo!!
    Bjs, se puder comentar nesse post ajudará muito:
    http://resenhasteen.blogspot.com.br/2014/09/vortex.html
    Nay =D

    ResponderExcluir
  10. Ai eu fiquei com muita vontade de ler esse livro!

    Um grande e GORDO beijo
    Thath
    http://overdosederosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem leve e fofinho!
      Obrigada por comentar, beijos!

      Excluir
  11. Olá!

    Não conhecia a história, gostei da sua resenha, apesar de não gostar muito desse tipo de conto americano de colégio

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir